O que é telemetria veicular e como funciona?

O que é telemetria veicular e como funciona?

Um carro ou caminhão em movimento geram uma grande quantidade de dados sobre o que está acontecendo durante a viagem. De acordo, com relatório da McKinsey & Company um veículo consegue gerar até 25 Gb de informação por hora, o que seria informação para encher 445 DVDs por mês! É muita informação!

E o para que serve toda essa informação?

Imagine, você, gestor de frotas, um mundo onde você tenha acesso a tudo que está ocorrendo com o seu veículo em tempo real na palma da sua mão ou no seu computador. Localização, velocidade, RPM, temperatura do motor, consumo de combustível, diagnósticos de falha, qualidade da direção do motorista. Seria sensacional, não é mesmo?

Então, é para te fornecer esse tipo informação e muito mais que serve a telemetria veicular.

O que é telemetria veicular?

A telemetria não está restrita a aplicações automotivas. Telemetria é a medição de dados de maneira remota. “Tele”, quer dizer remotamente, e “metria”, quer dizer medição.

Então, telemetria é basicamente a realização de uma medição à distância, remota.

Mas, no contexto automotivo, o que isso quer dizer?

A telemetria veicular é um sistema capaz de coletar dados diversos do veículo, como RPM, velocidade, localização, consumo de combustível e temperatura do motor de maneira remota e enviá-los a uma central para processamento, armazenamento e disponibilização ao gestor de frotas.

A telemetria veicular permite com que esses dados sejam disponibilizados em tempo real para o gestor de frotas, para auxiliá-lo na tomada de decisão e controle da operação. Assim, o gestor será capaz de tomar decisões estratégicas mais rapidamente e de maneira mais assertiva, otimizando a sua operação e reduzindo custos com a sua frota.

Como funciona a telemetria veicular?

Normalmente, um sistema de telemetria veicular funciona da seguinte forma:

Um equipamento é instalado no veículo para captar as informações referente a sua operação. Através de sinais de rádio, rede de telefonia ou satélite, essas informações são enviadas a um servidor na central de monitoramento.

Os dados armazenados no servidor são tratados pelo sistema de gestão de frotas e ficam disponíveis para o gestor acessar. Dentro do sistema o gestor tem acesso a diversos relatórios, que compilam e analisam os dados de acordo com a sua necessidade. Alguns parâmetros analisados na telemetria veicular são:

  • Velocidade;
  • Torque;
  • Dados do motor: RPM, temperatura, pressão na ignição, status (ligado ou desligado);
  • Dados gerais: Temperatura do freio, óleo, água, combustível e sensores diversos instalados no veículo;

Com relação a forma de captura de dados existem dois modelos de sistema de telemetria veicular: a telemetria veicular analógica e a telemetria veicular digital.

A. Telemetria veicular analógica

A telemetria veicular analógica depende da instalação de diversos sensores no veículo para a medição de cada parâmetro que deseja controlar. O acompanhamento de dados é feito sensor a sensor.

Por exemplo, se você quer controlar o RPM do veículo é necessário instalar um sensor que fará o cálculo do valor no contagiro e calibrar o sensor para cada veículo.

Se depois você quiser ler o odômetro, você terá que instalar um novo sensor e também calibrá-lo.

A principal vantagem desse método é a sua ampla abrangência e compatibilidade com diversos modelos de veículos, inclusive os mais antigos. Entretanto, é um sistema muito mais complexo de instalar e manter, pois necessita da instalação de diversos sensores em partes diferentes do veículo, que precisam ser calibrados periodicamente (a cada 3 ou 6 meses) para que as leituras mantenham o nível de exatidão e precisão desejados.

B. Telemetria veicular digital

A telemetria veicular digital se baseia na leitura de dados a partir da central eletrônica do veículo, o computador de bordo. A partir de 2009, foram estabelecidos padrões internacionais que facilitam a leitura dessas informações. No veículos pesados, com caminhões, as informações trafegam em uma rede chamada Rede CAN (Controller Area Network).

Todos os sensores que o próprio fabricante do caminhão instala no veículo enviam suas informações para o computador de bordo através dessa rede. Lendo ela, então, podemos ter acesso a tudo que está acontecendo com o veículo.

Assim, é necessário apenas a instalação de um dispositivo para a leitura da rede, não sendo necessário um conjunto novo de sensores como no caso da telemetria veicular analógica.

Lendo diretamente da rede do veículo, a telemetria digital fornece informações muito mais precisas e em maior variedade.

Rastreamento veicular ou telemetria

Telemetria e rastreamento são tecnologias bastante diferentes.

O sistema de telemetria também oferece o rastreamento, ou seja, realiza a medição da posição do veículo remotamente e a disponibiliza para o gestor de frotas em um sistema. Entretanto, o sistema de telemetria é muito mais completo e abrangente do que o sistema de rastreamento veicular, uma vez que fornece uma série de outras informações úteis para o gestor no controle da sua operação.

Benefícios da telemetria veicular

1. Economia de combustível

O sistema de telemetria irá te fornecer dados reais e precisos a respeito do consumo de combustível de cada veículo da sua frota. Assim, você poderá comparar o consumo real e o planejado, avaliar desvios com relação ao valor desejado e a partir disso definir um plano de ação para melhorar a eficiência da sua frota.

Além disso, a telemetria fornece dados para a avaliação do modo de condução dos motoristas, permitindo identificar comportamentos que aumentam o consumo do veículo. Você poderá então, treinar os motoristas em hábitos de direção econômica, promovendo a redução dos custos de combustível na sua empresa.


2. Redução de custos com manutenção

A telemetria veicular te fornece os dados necessários para que você crie e gerencie o seu plano de manutenção preventiva, além de auxiliar na previsão de problemas futuros e evitá-los com manutenções preventivas.

Os dados de telemetria, ainda te auxiliam na automação dos processos de manutenção e permitem com que você tome decisões baseada em dados, sendo mais assertivo nas suas escolhas.

De maneira geral, os dados de telemetria te permitem monitorar o padrão de condução de cada motorista, manutenção veicular, alertas de problemas e uma visão geral da saúde do veículo.

3. Controle do modo de condução dos motoristas

Como comentado anteriormente, o desgaste de pneus e o consumo de combustível, os quais representam, respectivamente, 8% e 35% dos custos variáveis de uma empresa de transportes, e o custo com manutenção representam a maior parte do custo variável de uma frota.

Além disso, o que eles tem em comum? Todos esses fatores são diretamente impactados pelo modo de condução do motorista.

Freadas, curvas e acelerações bruscas, RPM fora do indicado, dirigir na banguela, excesso de velocidade para o peso do veículo, parar o veículo e mantê-lo ligado. Tudo isso são hábitos ruins de direção dos motoristas que impactam diretamente no consumo de combustível, desgaste e vida útil das peças e dos pneus e, portanto, nos custos.

Os sistemas de telemetria permitem com que todas essas variáveis sejam controladas pelo gestor de frotas, para que ele avalie com informações precisas os seus motoristas, crie planos de treinamento para os que apresentam notas baixas no ranking e premie aqueles que apresentam notas altas. Veja aqui maiores detalhes sobre a telemetria: “Como a telemetria pode te ajudar a reduzir custos”.

No cenário atual da gestão de frotas, essa tem se mostrado a grande tendência. O uso de dados para avaliação de performance, associado a uma boa política de pessoas, faz com que os custos da empresa sejam reduzidos significativamente.

4. Redução de acidentes

Um outro aspecto importante relacionado ao controle do modo de direção do motorista é que isso também permitirá uma direção mais segura, que resultará em menos multas e acidentes. Você sabia que, de acordo com o Observatório de Segurança Viária, 90% dos acidentes de trânsito são provocados por falha humana e que, de acordo com o Ministério da Infraestrutura, 50% dos acidentes são provocados por imprudência?

Muitos gestores ficam muito mais preocupados com roubo de carga do que com o modo de condução do seu motorista, porém, segundo a Associação de Gestão de Despesas de Veículos, acidentes envolvendo caminhões podem ser até 12 vezes mais custos do que roubo de carga nas estradas.

Portanto, monitore seus motoristas, crie um plano de avaliação, premie os melhores e treine os que apresentam hábitos ruins. Isso irá reduzir grandes custos com a sua frota.


5. Gestão de frotas eficiente

Para uma gestão eficiente da frota o gestor deve analisar todos os dados disponíveis de todos os aspectos da sua operação. O gerenciamento de dados com base em papel e caneta e muito demorado e inseguro, não permitindo um acesso rápido e confiável à informação.

Os dados de telemetria podem ser agrupados em formatos diferentes para a criação de diversos relatórios gerenciais de frotas.

Por exemplo, o modo de condução de cada motorista pode ser utilizado para a criação de um ranking de motoristas, para seja feita uma avaliação do modo de condução individual, premiando os melhores motoristas e treinando aqueles que apresentarem um desempenho mais baixo.

Relatórios de manutenção preventiva, quilometragem percorrida e rotas realizadas também podem ser obtidos a partir do sistema de telemetria veicular.

Essas práticas irão te ajudar a implementar uma cultura de condução econômica, baseada em dados, imprescindível para a redução de custos na empresa.

Tecnologia de ponta para frotasMaior transparência da sua operação.

Copyright © Infleet | Tecnologia para frotas 2020. All Rights Reserved.

Interakt Soluções de Engenharia LTDA