4 Pilares da gestão de frotas eficiente

Neste artigo, vamos te apresentar os 4 pilares da Gestão Eficiente de Frotas e ações que você pode realizar para fortalecer cada pilar. Confira!
01/04/2020
7 min de leitura

Um dos principais objetivos da gestão de frotas é ter o controle total dos custos de manutenção da frota, custos com combustível, multas, motoristas e documentos e o planejamento de ações que permitam reduzir os custos operacionais da frota.

Por outro lado, além da redução de custos da frota, o gestor precisa também otimizar a sua operação, garantindo a disponibilidade dos veículos, atendimento dos serviços com qualidade, motivação da equipe e conformidade com as regulamentações necessárias.

Isso tudo, por sua vez, só pode ser alcançado através de uma gestão eficiente de frotas.

Para te ajudar com essa tarefa, vamos apresentar nesse artigo os 4 pilares da Gestão Eficiente de Frotas e ações que você pode realizar para fortalecer cada pilar.

Boa leitura!

1. Segurança

De acordo com o Observatório de Segurança Viária, 90% dos acidentes de trânsito são provocados por falha humana. Já o Ministério da Infraestrutura evidencia que 50% dos acidentes são provocados por imprudência dos motoristas.

Muitos gestores ficam muito mais preocupados com roubo de carga do que com o modo de condução do seu motorista, porém, segundo a Associação de Gestão de Despesas de Veículos, acidentes envolvendo caminhões podem ser até 12 vezes mais custos do que roubo de carga nas estradas.

Por isso, o pilar fundamental da gestão de frotas é o pilar da segurança e o gestor de frotas deve garantir que a sua equipe está seguindo as regras de direção segura.

Primeiramente, deve ser construído dentro da empresa uma política de gestão de frotas, na qual será apresentado o modo correto e seguro de condução veicular.

As regras de limite de velocidade por via, condições climáticas, tipo e peso da carga transportada devem ser claramente comunicadas aos motoristas. Além disso, os motoristas devem ser treinados em técnicas de direção defensiva e eficiente, como, rodar com o RPM ideal, dirigir sempre com o veículo engatado, manter a velocidade constante sempre que possível, evitar curvas, acelerações e frenagens bruscas e não manter o veículo parado e ligado a menos que seja extremamente necessário.

Para avaliar e garantir que os motoristas estão cumprindo com as regras estabelecidas na política de gestão de frotas da empresa algumas ferramentas são muito importantes para o gestor de frotas.

  • Monitoramento de frotas

    O monitoramento da frota em tempo real, através de tecnologias de rastreamento veicular, permite ao gestor de frotas acompanhar a sua operação em tempo real, bem como, avaliar todo o histórico operacional do veículo. Essa tecnologia permite avaliação de todo o histórico de viagens realizadas, pontos de parada, paradas com motor ligado, quilometragem percorrida, ociosidade da frota e outros indicadores.

  • Telemetria veicular

    A telemetria veicular permite ao gestor a captação de dados do veículo como RPM, temperatura do motor, direção na banguela, velocidade, aceleração, curva e frenagem brusca para que assim ele possa analisar se o motorista está seguindo as regras estabelecidas.

  • Ranking de motoristas

    A partir dos dados de telemetria veicular o gestor pode elaborar um ranking dos motoristas para premiar os melhores e efetuar treinamento com os que apresentam piores resultados. Além disso, ele pode acompanhar a performance histórica de cada motorista e verificar se os treinamentos estão apresentando os resultados desejados.

  • Checklist de saída

    O checklist de saída do veículo é uma ferramenta de manutenção que traz grandes resultados de segurança. Com o checklist o motorista irá, sempre, verificar a integridade e conformidade da série de itens listados, evitando que o veículo saia da garagem para o serviço com algum problema. Itens como pressão do pneu, funcionamento de luzes, nível de óleo, quilometragem do veículo, presença de extintor de incêndio estão entre alguns dos parâmetros analisados.

gestao-frotas-pilares-pneus-custos-manutencao-seguranca

2. Controle de custos

Custos é sempre uma das maiores preocupações dentro de qualquer empresa. Reduzir custos é sempre um dos principais objetivos. Por isso, o controle de custos da frota é um dos pilares para a gestão eficiente.

Para controlar o custo da frota é fundamental que o gestor tenha o controle e registro completo de todo o histórico de informações. A partir desses dados ele poderá analisar tendências de quebra de veículos, desvios de custos, desvios de eficiência do veículo entre outras coisas para que ele entenda a causa de cada problema e elabore planos de ação para a redução dos custos.

Toda estrutura de custos é divida em dois grupos: custos variáveis e fixos.

Os principais custos fixos de uma frota são

  • Salário dos motoristas e assistentes;
  • Depreciação veicular;
  • Seguro veicular ou seguro de carga;
  • Documentos e licenças do veículo;
  • Sistema de gestão de frotas;

Os principais custos variáveis de uma frota são

Com base no registro de informações históricas desses itens gere indicadores de custo para a sua frota, acompanhe periodicamente e trace um plano de ação em caso de desvio. Nesse sentido, os softwares de gestão de frotas são grandes aliados dos gestores, pois eles permitem a coleta e armazenamento dos dados para uma posterior análise e auxílio na tomada de decisão.

3. Eficiência

O pilar da eficiência tem como objetivo melhorar os indicadores operacionais e de custos da frota.

O custo por quilômetro é um dos principais indicadores de eficiência da frota, pois leva em consideração todos os custos, variáveis e fixos, e os relaciona a quilometragem percorrida para a execução dos serviços.

A utilização sistemas de monitoramento de frotas, telemetria veicular para o controle do modo de condução do motorista, criação de planos de manutenção preventiva, controle de multas, otimização de rotas, otimização do tamanho de frota e análise de terceirização da frota são algumas das principais ações que podem ser tomadas nesse pilar.

4. Conformidade

Não menos importante do que os demais pilares é a conformidade dos veículos com a legislação.

É fundamental garantir que todos os motoristas estão com a CNH válida e apresentam os cursos necessários para o transporte da carga.

Com relação ao veículo, é importante garantir que o seguro, sistema de rastreamento veicular e de carga, licenças de transporte e documentação estão em conformidade com as necessidades operacionais da empresa.

Além disso, é importante garantir através do checklist de saída do veículo que ele sempre saí da garagem com todos os requisitos de viagem cumpridos.

Assim, evita-se multas, ociosidade veicular, acidentes e a apreensão do veículo durante a viagem.

Outro ponto fundamental da conformidade é a garantia de seguimento da Lei do Motorista – Lei Nº 13.103, de 2 de Março de 2015. Para um gestor de frota é fundamental o conhecimento dos aspectos da lei para garantir que todos os direitos e deveres do motorista sejam respeitados, de modo a evitar que a empresa seja processada na Justiça do Trabalho.

Nesse sentido, o sistema de controle da jornada do motorista é a tecnologia principal para o gestor de frotas obter de maneira confiável as informações para a criação do diário de bordo do motorista. Através da captação de dados do veículo, análise de pontos de parada, rotas, duração de viagens, identificação do motorista, a plataforma permite o preenchimento automático da jornada de trabalho do fornecendo informações com maior precisão e confiabilidade, evitando portanto erros de preenchimento, fraudes e processos trabalhistas.

BÔNUS – Pilares adicionais que contribuem para uma gestão de frotas eficiente

5. Os veículos

Os veículos da sua frota são uma das suas principais prioridades. Sua estratégia de planejamento precisa incluir planos para os tipos de veículos que você possui, o número que você precisa e a maneira como você os manterá.

Ao selecionar os veículos, você deve considerar vários fatores, incluindo o tamanho e a capacidade de carga, o tipo de combustível, a eficiência do combustível e as emissões. Além disso, o tipo de trabalho realizado pela frota deve ser considerado. O veículo que funciona melhor para uma frota urbana não será o mesmo veículo escolhido por um provedor de serviços que atende vários municípios na zona rural.

Os gerentes também devem considerar a vida útil do veículo e o plano de substituição.

Se esse plano incluirá ou não veículos elétricos também deve ser levado em consideração, pois o custo do combustível continua aumentando.

6. Cronograma de substituição

Sua frota precisa de um plano estabelecido para quando os veículos serão substituídos, e esse plano deve ser delineado e ajustado toda vez que você trouxer um novo veículo para a frota.

O cronograma de substituição precisa equilibrar seus custos de substituição com os custos de manutenção de um veículo mais antigo ou desatualizado. Antes da recessão, muitas frotas tinham uma regra prática padrão de substituir veículos a cada três anos, mas orçamentos apertados forçaram algumas mudanças. As médias estão mais próximas de 4 a 5 anos.

As políticas de substituição de sua frota podem variar de acordo com suas necessidades e orçamentos, mas você precisa ter um plano. Deixar de planejar te deixará em uma situação em que você não terá dinheiro quando um veículo não for mais utilizável.

7. Eficiência energética

A eficiência está se tornando cada vez mais importante para as frotas, pois as empresas têm um desejo maior de “tornar-se verde” e os custos de combustível continuam sendo problemáticos para orçamentos apertados.

As estratégias de planejamento precisam incluir diretrizes claras sobre como otimizar a eficiência da frota, com um objetivo de longo prazo de reduzir as emissões e melhorar a economia de combustível em toda a frota. As estratégias de eficiência podem incluir:

  • Adicionando veículos elétricos ou de combustível alternativo à frota.
  • Usando uma estratégia de compartilhamento de carros para motoristas.
  • Empregar um melhor planejamento de rotas para reduzir a quilometragem da viagem.
  • Adicionando incentivos para motoristas que reduzem a quilometragem.
  • Treinar os motoristas para usar estratégias de direção com economia de combustível.
  • Usando a Telemetria para monitorar o comportamento do motorista.

8. Melhor colaboração entre os setores

Para que uma frota funcione da maneira mais eficaz possível, ela precisa trabalhar em conjunto com outros setores da empresa. O gestor de frota precisa ser capaz de colaborar com recursos humanos, marketing, gestão e departamento financeiro para tomar decisões eficazes que apoiem o negócio como um todo.

A colaboração garante que os fundos estejam disponíveis para manutenção e substituição quando forem necessários. Sua estratégia de planejamento precisa incluir diretrizes claras para essa colaboração para garantir que o gerente de frota mantenha o controle necessário sobre a frota e, ao mesmo tempo, estabeleça uma cultura de comunicação com outros departamentos.

Ao criar uma estratégia de planejamento para sua frota, considere tanto suas necessidades e prioridades atuais quanto as do futuro. Manter essas quatro prioridades de planejamento em mente o ajudará a criar um plano sustentável e eficaz.

Gostou do nosso artigo? Então assine nossa newsletter para receber todas as novidades em primeira mão na sua caixa de emails!

A gestão de frotas pode ser muito mais simples!

Tenha tudo na palma da sua mão e em um só lugar com o Super App Infleet para ter uma gestão de frota mais simples, fácil e eficaz.

Homem no celular

Compartilhe:

Fique por dentro das novidades

Inscreva-se em nossa newsletter e receba os melhores conteúdos no seu e-mail!

plugins premium WordPress

Preencha os seus dados

Faça um teste grátis do nosso sistema de gestão de frotas

Um de nossos consultores entrará em contato para te auxiliar com o teste grátis!

"*" indica campos obrigatórios

Aceito receber comunicações e as políticas de privacidade*
Este campo é para fins de validação e não deve ser alterado.

Entraremos em contato em até 2 horas úteis. O contato é gratuito e sem compromisso.