Quais atitudes devem ser evitadas pelos seus motoristas?

Quais atitudes devem ser evitadas pelos seus motoristas?

Já passou por dores de cabeça decorrentes do mal comportamento de um colaborador? Essa dor de cabeça representou também alguma perda financeira? O trabalho no setor de transportes pode significar um excelente faturamento, mercados aquecidos e ganhos significativos, no entanto, algumas falhas podem trazer também perdas extremamente inconvenientes.

Frequentemente ouvimos notícias de motoristas que se envolveram em batidas, ou que acumulam multas sem explicação ou que se recusam a cumprir horários. Falaremos um pouco ao longo do texto sobre as principais atitudes que você gestor deve buscar evitar por parte dos seus motoristas e o que fazer para evitá-las.

Dirigir cansado

Para o correto exercício da sua profissão o motorista precisa estar apto a desenvolver três funções: cognitiva, motora e sensorial. Esse conjunto de funções permitirá que decisões possam ser tomadas com base em informações corretamente captadas, assim como irá determinar se a velocidade de resposta será suficiente para cada situação. Nesse sentido o sono e o cansaço são barreiras significativas.

A melhor instrução para esse tipo de situação é: não dirigir caso não tenha certeza de que está 100% acordado e apto a desempenhar suas funções. Uma forma de antecipar esse tipo de situação é investir tempo no planejamento da rota, respeitando a Lei do Motorista e sempre que possível evitando trechos noturnos.

Ultrapassagens perigosas

No Brasil os acidentes de trânsito são a terceira principal causa de mortes, levando a 55% da ocupação dos leitos de hospitais, de acordo com o Portal do Trânsito. Em períodos como esse onde nos deparamos com o COVID-19 e sabemos da importância que leitos disponíveis tem, é fundamental repensar a nossa atitude em relação ao trânsito.

Como gestor você deve incentivar os seus motoristas a ultrapassarem apenas em locais onde a sinalização permita e as condições sejam seguras. Por maior que seja a urgência para a realização de um serviço ou de uma entrega, é fundamental que a segurança não deixe de ser uma prioridade.

Não uso do cinto de segurança

As campanhas para uso do cinto de segurança são presentes nas televisões, rádios e outdoors há muito tempo no Brasil. O motivo para essa presença é o fato do cinto de segurança ainda ser o principal elemento na redução de danos provenientes de um acidente automobilístico.

A tabela abaixo pode ajudar a entender como a falta do cinto de segurança pode ser crucial para determinar o impacto de um acidente.

velocidade-impacto-motorista-frotas-gestao

Fonte: https://carros.ig.com.br/2017-11-24/cinto-de-seguranca-cesvi.html

Falta de preocupação com as condições do veículo

O cuidado com o estado de conservação do veículo é uma responsabilidade de todos envolvidos nesse processo, a empresa precisa prover um plano de manutenções atualizado, os responsáveis pela oficina devem cuidar para que todos os serviços sejam feitos com o máximo de precisão e os motoristas precisam conduzir com atenção, a fim de manter o ativo em bom estado pelo máximo de tempo possível.

É uma ótima prática a adoção do checklist de manutenção, através deste o motorista pode manter o controle do estado do veículo, acompanhando o surgimento de possíveis avarias, auxiliando assim na rápida resolução de problemas.


Atrasos

A construção de uma marca passa por diversas aprovações por parte da rede de clientes e da sociedade. Nenhuma marca deseja ser conhecida como aquela que atrasa as entregas, para evitar esse tipo de estigmatização é muito importante que aqueles que executam as operações de entrega, coleta e/ou visitas estejam devidamente educados a respeito das práticas de pontualidade da empresa.

A melhor forma de controlar essa variável é adotando uma gestão das entregas. Se você já faz uso da plataforma de monitoramento essa é uma forma excelente de verificar se os seus motoristas estão chegando no horário agendado com os clientes.


Falta de preparamento prévio

O planejamento da rota é fundamental para que a execução dessa seja a mais otimizada possível. Dessa forma bloqueios nas vias, condições climáticas e outros fatores que podem influenciar na operação podem ser devidamente mapeados para que seu impacto seja assim diminuído.

Para a criação de rotas vale o uso de softwares que automatizam esse processo, além claro do uso do conhecimento adquirido pela equipe.

Acreditamos que seguindo essas dicas você conseguirá identificar de maneira melhor como pode ajudar os seus motoristas a entregarem resultados ainda mais consistentes. Nossa equipe está à sua disposição para lhe auxiliar nessa jornada.