Fatores que contribuem para um modo de direção ruim dos motoristas

Fatores que contribuem para um modo de direção ruim dos motoristas

Você gestor ou gestora de frota certamente deseja que os condutores dos veículos da sua empresa ajam de forma exemplar e não causem problemas por conta da forma com que dirigem. No entanto, é preciso além de buscar pelas boas práticas de direção, também estar consciente daquilo que atrapalha a conquista desse objetivo.

Vamos listar abaixo algumas causas e discutir o que você que trabalha diretamente com a gestão de frotas pode fazer para mitigá-las ou removê-las por completo.


Comece pelo planejamento das rotas

Um motorista que continuamente tem seus veículos apresentando falhas mecânicas, pneus furados ou desgastes acelerados de peças, pode realmente estar precisando de uma reciclagem, ou pode estar precisando rodar por pistas mais bem mantidas. Não é só por uma medida de justiça, mas também para que os resultados certos sejam cobrados da forma certa é preciso ter muita precisão no momento da criação das rotas.

Pra essa tarefa vale chamar esses mesmos colaboradores para que eles compartilhem as suas experiências e ajudem a sua equipe de planejamento a entender os desafios pelos quais eles passam e assim propor um trajeto eficiente e que irá fazer bem aos condutores e aos veículos.

Invista em tecnologia

Você não pode controlar o que não mede, essa famosa frase de William Deming aponta para a importância dos dados para a tomada de decisão. Porém sabemos que esse ainda é um desafio no Brasil, infelizmente 55% da gestão de frotas ainda é feita usando papel e lápis, o que torna a possibilidade de integração e cruzamento de informações bastante diminuta. Mas, se você deseja dar um passo além e realmente atacar as causas certas, é fundamental que o seu processo seja muito bem medido.

Alguns exemplos de eventos que você pode captar com a tecnologia são as frenagens e acelerações bruscas, além das curvas fechadas e excessos de velocidade. Todos esses eventos podem ser indicativos de comportamentos e vícios de direção que além de inseguros são também de grande dano à operação da empresa. Você pode ainda fazer medições mais voltadas à produtividade e desperdícios como a identificação da ociosidade do motor, ou ainda do RPM do veículo.

Manutenção é fundamental

Dentro do universo da manutenção você pode tomar uma gama de atitudes cujo fim delas poderá resultar em uma frota mais exposta a falhas ou menos exposta, a questão é: nesse caso o seu motorista pode ter a performance dele prejudicada, mesmo se ele fizer tudo certo.

Uma ótima forma de começar a agir nesse tipo de caso é através do uso de checklists diários de manutenção, essa rotina deve ser realizada pelos próprios motoristas e consiste de uma inspeção visual previamente planejada e suportada por uma ferramenta de acompanhamento, que pode ser tanto analógica como digital. A vantagem nesse caso da ferramenta digital é a possibilidade de gerar dados e comparativos, podendo avaliar a qualidade de um serviço, o tempo que tem sido concretizado entre manutenções e muito mais.

Como você já deve saber é importante demais ter um bom plano de manutenções preventivas. A importância desse tipo de manutenção está na sua capacidade de reduzir falhas paralisantes para a operação, uma vez que aposta em ciclos previamente estabelecidos pelo fabricante, para dessa forma levar o aproveitamento das peças e materiais do veículo até o seu potencial máximo.


Dados centralizados

Pra fechar esse manual sobre como ajudar o seu motorista a ter o melhor desempenho no uso dos ativos da empresa, precisamos voltar a falar de dados. Na verdade, tudo que foi dito aqui orbita em torno desse assunto e não será diferente com o acompanhamento dos condutores. A forma que sugerimos para fazer isso é através do cruzamento das informações acima e da comparação entre os vários motoristas que possam existir na empresa. Portanto, não se trata apenas de compilar dados, mas também de associar como eles se relacionam com os resultados entregues por cada colaborador que dirige um veículo.

Você pode por exemplo relacionar a assiduidade do motorista na realização dos checklists diários com a frequência de manutenções corretivas dos veículos que ele dirige, ou ainda usar os parâmetros de telemetria para criar um indicador global do modo de condução do motorista. Além claro de acompanhar se o que está sendo planejado na etapa de roteirização é cumprido na operação.

A Infleet é um Hub Integrador de soluções para Gestão de Frotas. Queremos simplificar a sua gestão para que tenhamos um mundo mais sustentável. Converse com nosso time comercial para entender mais sobre como vamos lhe ajudar nesse desafio!

Monitore a sua frota e otimize seus custosInfleet | Tecnologia de ponta para gestão de frotas