A evolução da logística e os fatores que influenciam na sua performance

Como sobreviver com a grande volatilidade de pedidos e a constante busca no aumento da qualidade do serviço? Veja os fatores mais importantes!
05/03/2024
7 min de leitura

Podemos pensar na história da logística brasileira, através de uma grande evolução em gestão organizacional e uma maior criticidade dos clientes finais e intermediários da cadeia.

Na década de 70, pensava-se estritamente em eficiência de processos, ou seja, um transporte com o menor custo possível. Passando pela década de 80, o consumidor e a alta concorrência começaram a exigir confiabilidade de entrega dos produtos certos nos locais corretos. Os processos de compras evoluíram e, atualmente, a cadeia logística é conduzida pelo mercado e possui uma elevada volatilidade.

A globalização e os sistemas flexíveis de compras rápidas e online tornaram os processos logísticos atuais mais complexos. Os gastos, hoje, consomem 12% do faturamento médio das empresas no Brasil. Então como sobreviver com a grande volatilidade de pedidos e a constante busca no aumento da qualidade do serviço?

Para saber mais, confira a evolução da logística no artigo a seguir.

Qual é o propósito da logística?

O propósito da logística é fornecer serviços ou produtos no endereço destinado para os clientes.

Sendo assim, implementar processos logísticos é um dos maiores desafios para muitas empresas. Afinal, a logística é mais do que uma simples área operacional, é uma área de planejamento estratégico operacional.

Assim, podemos afirmar que a logística é um dos pilares de sucesso da empresa. Através dela que as entregas são realizadas conforme o planejamento, dentro do prazo e para garantir a satisfação do cliente.

As 5 fases da evolução da logística

É importante ressaltar que a logística é algo bastante antigo e começou antes mesmo de Cristo.

Mas, vamos explicar em 5 fases sua evolução e começar pelos anos 40, período pós-guerra.

Primeira fase: anos 40

Nesse período, as indústrias tinham como foco a produção em larga escala. O objetivo era produzir, onde os estoques eram controlados manualmente e ainda não tinha um sistema claro de comunicação entre fabricantes e revendedores.

De forma que era bastante comum encontrar vários pontos de vendas com estoques lotados de produtos. Aqui, ainda não havia o conceito de logística empresarial, ou seja, as empresas não se preocupavam com os custos produtivos e com a rotatividade dos produtos.

Fase 2: anos 50

Nessa fase, o conceito de logística empresarial começa a se consolidar.

Vários estudiosos e especialistas da área, criaram diversas teorias para melhorar a logística. Como, por exemplo, surge a teoria de produção aplicada nas fábricas da Toyota no Japão. Seu objetivo foi reduzir desperdícios, controlar a produção e obter mais lucro.

As empresas começaram a direcionar seus gastos para melhorar os fluxos de distribuição e reposição. Assim, a evolução da logística começa a voltar seu objetivo para a experiência de consumo.

Fase 3: anos 70

Os anos 60 e 70 trouxeram um modelo de produção mais enxuto. Ou seja, as empresas começam a investir mais nos canais de distribuição.

Aqui no Brasil, o modal rodoviário começa a crescer devido às obras e a infraestrutura que aumenta a distribuição pelo país.

No entanto, em meados dos anos 70, tem a crise do petróleo e mudanças nos custos de mão de obra. O que traz um aumento nos custos de produção e mão de obra.

Fase 4: anos 80 e 90

Nas décadas seguintes, surge o conceito de supply chain, em tradução livre: a cadeia de suprimentos.

Com isso, o processo produtivo começa a focar mais na integração e controle das operações com objetivo de reduzir os custos, monitorar cada etapa da logística e antecipar problemas.

Essa mudança é possível com o avanço da tecnologia e a era da globalização. O que também reflete nas mudanças no Brasil, onde a exportação se fortalece, sendo a logística um dos fatores que contribui para o desenvolvimento da economia.

Fase 5: atualidade

Se na fase anterior já tinha a evolução tecnologia, essa última fase é onde temos o contexto da alta tecnologia.

Estamos na era 4.0 da logística. Onde é possível aplicar inovações para:

  • Reduzir custos;
  • Acompanhar resultados;
  • Automatizar tarefas;
  • Monitorar operações.

Além desses avanços, temos outras evoluções tecnológicas em desenvolvimento como a Inteligência Artificial, Internet das Coisas, aprimora o uso de robôs em tarefas diárias, era 5G da Internet e várias outras aplicações que transformam a realidade do setor de logísticas nas empresas.

A evolução da logística no Brasil

O Brasil era um país com foco na área agrícola até o começo dos anos 50. Aliás, até hoje, o agronegócio é forte na economia, mas a sua dependência mudou depois dos anos 70.

Antes, a produção alimentícia era realizada em regiões próximas por falta de boas alternativas para transporte. Já a indústria era concentrada nos centros urbanos e ainda dependia do transporte ferroviário nacional.

De forma que esses fatores contribuíram para a evolução logística ocorresse de forma mais lenta, o que atrasou na integração comercial e industrial.

Os principais desafios da logística atual

A logística moderna enfrenta uma série de desafios que impactam diretamente sua eficiência e desempenho. Desde a crescente demanda por entregas rápidas até a necessidade de reduzir custos operacionais, enfim, os desafios da logística atual são diversos.

Entre os principais desafios, temos que:

Tendências da evolução logística

A evolução da logística está diretamente ligada às novas tendências e tecnologias que surgem constantemente no mercado.

Por isso, é importante acompanhar o ritmo das demandas do consumidor e adotar uma abordagem proativa para se manterem competitivas. Entre as principais tendências da evolução logística estão a digitalização, a automação, a personalização, a sustentabilidade e a colaboração entre os diferentes elos da cadeia de suprimentos.

Robótica e automação

Ainda vale lembrar que a robótica e a automação contribuem para a revolução da logística ao aumentar a eficiência e reduzir os custos operacionais.

Com o uso de robôs e sistemas automatizados, por exemplo, as empresas podem agilizar processos como a seleção e embalagem de pedidos, o transporte interno de mercadorias e a gestão de estoques. Além disso, a automação permite reduzir erros humanos e aumentar a precisão das operações, o que resulta em uma maior eficiência operacional e satisfação do cliente.

Inteligência artificial generativa

A inteligência artificial generativa, ou GAI (Generative Artificial Intelligence), é uma tecnologia emergente que promete transformar a logística ao permitir a geração de soluções criativas e inovadoras para os desafios do setor.

Por meio de algoritmos avançados e redes neurais, a GAI é capaz de analisar grandes volumes de dados, identificar padrões e tendências, e gerar insights acionáveis ​​para otimizar processos e tomar decisões estratégicas. Com a inteligência artificial generativa, as empresas podem encontrar novas maneiras de melhorar a eficiência, reduzir custos e oferecer um serviço mais personalizado aos clientes.

Rastreabilidade e inteligência de localização

A rastreabilidade e a inteligência de localização são essenciais para garantir a visibilidade e o controle das operações logísticas em tempo real.

Através das tecnologias como GPS, RFID e IoT (Internet das Coisas), as empresas podem rastrear e monitorar o movimento de mercadorias e veículos ao longo de toda a cadeia de suprimentos. Assim, ela consegue ter uma gestão mais eficiente dos recursos, uma resposta mais rápida a eventos imprevistos e uma maior precisão na previsão de prazos de entrega.

Ferramentas sustentáveis

Com a crescente preocupação com o meio ambiente, as empresas estão cada vez mais adotando práticas sustentáveis em suas operações logísticas.

De modo que podemos citar uma série de fatores como, por exemplo, o uso de embalagens biodegradáveis, a otimização de rotas para reduzir as emissões de CO2, o uso de veículos elétricos e híbridos, e o investimento em energias renováveis. Além de reduzir o impacto ambiental, as práticas sustentáveis também podem gerar economias significativas de custos e melhorar a imagem da empresa diante os consumidores.

Blockchain

O blockchain é uma tecnologia de registro distribuído que promete revolucionar a logística ao garantir transparência, segurança e integridade nas transações e trocas de informações ao longo da cadeia de suprimentos.

Por meio do blockchain, as empresas podem criar registros imutáveis ​​e transparentes de todas as etapas do processo logístico, desde a origem até o destino final. Isso permite uma maior confiabilidade e rastreabilidade das mercadorias, reduz o risco de fraudes, erros e atrasos nas entregas.

Além disso, o blockchain pode simplificar e agilizar processos como a gestão de documentos, o pagamento de fornecedores e a resolução de disputas comerciais.

Principais fatores devem ser considerados na evolução logística

A logística é uma área dinâmica, impulsionada por diversos fatores que impactam diretamente o desempenho operacional. Para acompanhar a evolução constante, é fundamental considerar alguns fatores:

Velocidade e Flexibilidade

A capacidade de resposta rápida e flexibilidade são características essenciais na evolução logística.

Com o aumento das expectativas dos clientes em relação a prazos de entrega mais curtos, a logística deve ser ágil para atender a essa demanda. Ou seja, a flexibilidade também é vital para ajustar operações de acordo com mudanças sazonais, demandas do mercado e outras variáveis dinâmicas.

Custos operacionais

A otimização de custos operacionais é um fator crítico na evolução logística.

Afinal, com a competição acirrada e a pressão para oferecer serviços eficientes a custos reduzidos, as empresas precisam procurar maneiras de melhorar a eficiência, reduzir desperdícios e identificar oportunidades para economias de escala.

Integrabilidade de processos

A integração eficiente de processos é um pilar central na evolução logística.

Pois, envolve a harmonização de todas as etapas da cadeia de suprimentos, desde a produção até a entrega final. Sistemas integrados de gestão, automação de processos e a colaboração estreita entre diferentes elos da cadeia contribuem para uma operação mais suave e eficiente.

Confiabilidade

A confiabilidade é fundamental para a satisfação do cliente e para construir uma reputação sólida no mercado.

Vale lembrar que ocorre desde a precisão nas informações de rastreamento até a consistência nas entregas. A evolução logística depende da confiança que os clientes depositam na capacidade da empresa de cumprir promessas e superar expectativas.

Soluções logísticas Infleet

Ter uma fonte objetiva de dados de frota, fornecida por um sistema integrado de gestão de frota, pode ajudar a superar o tipo de desafio que todos os que gerenciam veículos enfrentam em algum momento.

Conte conosco para entender as suas necessidades e desenhar com você uma solução voltada para redução de custos e aumento de produtividade.

Teste aqui gratuitamente os módulos de gestão: videotelemetria, telemetria, monitoramento, checklist, gestão de abastecimento, manutenção e muito mais.

A gestão de frotas pode ser muito mais simples!

Tenha tudo na palma da sua mão e em um só lugar com o Super App Infleet para ter uma gestão de frota mais simples, fácil e eficaz.

Homem no celular

Compartilhe:

Fique por dentro das novidades

Inscreva-se em nossa newsletter e receba os melhores conteúdos no seu e-mail!

plugins premium WordPress

Preencha os seus dados

Faça um teste grátis do nosso sistema de gestão de frotas

Um de nossos consultores entrará em contato para te auxiliar com o teste grátis!

"*" indica campos obrigatórios

Aceito receber comunicações e as políticas de privacidade*
Este campo é para fins de validação e não deve ser alterado.

Entraremos em contato em até 2 horas úteis. O contato é gratuito e sem compromisso.