O que é a gestão logística?

O que é a gestão logística?

O rápido crescimento da demanda por comércio on-line também deu origem a modelos de negócios com ciclos de atendimento de pedidos mais curtos, aumento da concorrência, margens reduzidas e a principal necessidade de um excelente atendimento ao cliente.

Com efeito, esses são os principais impulsionadores que exigiram grandes melhorias no Gerenciamento de Logística. Analisar a função logística de uma empresa e utilizar as ferramentas e dicas corretas para otimizá-la, tornou-se crucial para o sucesso.

O que é a gestão logística?

A gestão logística é definida como um conjunto de múltiplos processos que facilitam a movimentação eficiente de matérias-primas, mercadorias, encomendas, produtos acabados e fretes desde o ponto de origem até o consumidor final.

Dependendo do grau de adoção digital dentro de um ecossistema e das partes interessadas e empresas dentro dele, esses processos podem ser manuais ou automatizados. Os métodos de gerenciamento de logística de hoje adotaram rapidamente tecnologias da nova era, como Cloud-Tech, Internet das Coisas, Inteligência Artificial e Preditiva, Aprendizado de Máquina (etc.).

As atividades principais do gerenciamento de logística incluem atendimento de pedidos, armazenamento, gerenciamento de estoque, embalagem, previsão de padrões de demanda e fornecimento e gerenciamento de frota e motorista, para citar alguns.

Ao implantar ferramentas tão poderosas para gerenciar a função de logística, as empresas de hoje ganharam poder – elas foram capazes de identificar novos fluxos de receita, melhorar a lucratividade e alcançar altos níveis de satisfação do cliente.

Como a logística forma o núcleo do gerenciamento da cadeia de suprimentos, isso criou melhorias revolucionárias nos métodos gerais e nas eficiências operacionais alcançadas pelas cadeias de suprimentos em todo o mundo.

Quais são os tipos de Gestão Logística?

  1. Gestão da Cadeia de Suprimentos: Este tipo está focado no planejamento, aquisição e coordenação de matérias-primas que são necessárias em locais e destinos específicos para facilitar a produção de bens e produtos. Isso também inclui o armazenamento, armazenamento e movimentação de materiais e estoque.

É importante ressaltar que o gerenciamento de suprimentos precisa verificar os padrões de demanda para que o suprimento correspondente de materiais possa ser organizado. O gerenciamento da cadeia de suprimentos mal planejado ou executado certamente resultará em interrupções e perdas ao longo de toda a cadeia de suprimentos.

  1. Manuseio e Distribuição de Materiais: Refere-se ao movimento de materiais e suprimentos de um local central, por exemplo, um armazém localizado centralmente, para vários outros pontos de sua necessidade de maneira organizada e oportuna, de onde a produção ou distribuição pode continuar.

Como é natural no manuseio e distribuição de materiais, esse tipo de logística envolve muito rastreamento, manutenção de estoque, carga e descarga de materiais.

  1. Gestão da Produção: Refere-se ao planejamento, execução e acompanhamento das diversas etapas da produção de uma empresa.

Ele cuida de toda a coordenação necessária no processo de montagem ou fabricação, áreas de produção, armazéns e fábricas, de acordo com os cronogramas de produção e entrega necessários.

É importante ressaltar que a logística de produção eficiente permite que uma empresa opere com eficiência de capital.

  1. Gerenciamento do atendimento ao cliente: As estratégias, práticas e tecnologias usadas pelas empresas para analisar e gerenciar as interações com o cliente e os dados gerados ao longo do processo do ciclo de vida do cliente são chamadas de gerenciamento do atendimento ao cliente.

Comunicação transparente e entregas sem danos feitas no prazo são a base de uma boa gestão de atendimento ao cliente. Além de construir relacionamentos comerciais fortes com todas as partes interessadas, isso resulta em uma métrica mais crítica, ou seja, a retenção de clientes.

  1. Gestão de Logística Reversa: Também é chamada de Gestão de Devoluções e refere-se ao tratamento de devoluções de pedidos.

Isso inclui a recuperação de suprimentos e materiais do fornecedor (por exemplo, fabricante, agente) para produtos devolvidos do cliente final devido a danos, indesejados ou não utilizados (por um motivo legítimo e aceitável).

Por meio de inspeção padronizada, classificação, substituição, reabastecimento e tomada de decisões oportunas em relação aos produtos devolvidos, as empresas podem reduzir suas perdas.

Dicas para uma gestão logística eficiente

Com uma gestão logística eficaz, as empresas garantem o aumento das receitas, a redução de erros e o desperdício de recursos, alcançam uma comunicação ideal e constroem fortes relações comerciais.

Confira 7 dicas para uma gestão logística eficiente.

  1. Automação: Ao automatizar as principais operações de logística, como planejamento de rotas, agendamento, gerenciamento de escalas, alocação de tarefas (etc.), as empresas não apenas economizam uma quantidade significativa de tempo e dinheiro, mas também podem atingir níveis muito mais altos de desempenho operacional eficiência, planejar melhor o futuro e manter uma operação robusta e lucrativa.
  2. Manter o controle das operações em terra: Com a gestão logística, as empresas podem manter uma visão integrada de seus recursos, departamentos e equipes e monitorar suas operações em tempo real.

Essa visão transparente e em tempo real ajuda a alcançar a eficiência ideal, minimizando interrupções e fazendo o melhor uso de seus recursos.

  1. Otimização de rotas: Uma parte importante do gerenciamento de logística é otimizar as rotas de entrega com os serviços de sistemas modernos, como software de última milha. Essas técnicas avançadas de otimização equilibram vários elementos que estão sempre flutuando – como tráfego, clima, quilômetros vazios, tonelagem (etc.) – e criam rotas ideais.
  2. Aproxime o estoque dos clientes: com os clientes exigindo prazos de entrega mais rápidos e baratos todos os dias, as distâncias que as encomendas precisam percorrer do ponto de armazenamento até o destino final precisam ser minimizadas. Portanto, os locais de armazenamento assumem grande importância.

O gerenciamento de logística deve identificar esses locais de estoque que não apenas alcancem os prazos de entrega mais curtos, mas também minimizem os custos operacionais.

  1. Minimizando a pegada de carbono: Não deveria ser surpresa que o transporte seja uma das principais causas de danos ambientais devido às suas emissões de carbono!

Ao adotar tecnologias modernas – por exemplo, veículos elétricos, combustível verde, documentação digital e otimização de rotas – as empresas podem reduzir significativamente a pegada de carbono de suas operações de logística.

  1. Capacitando os clientes: Impulsionados por sua necessidade de 'controle' e 'gratificação instantânea', os clientes de hoje querem saber exatamente onde estão suas encomendas, querem ser atualizados durante todo o processo com comunicação em tempo real sobre ETAs, quaisquer atrasos ou alterações
  2. Mitigação do risco operacional: Ao adotar processos digitais e ferramentas de logística, as empresas podem alcançar uma operação robusta da cadeia de suprimentos. Isso, por sua vez, mitiga a exposição ao risco, garantindo que as melhores práticas sejam estabelecidas, levando a margens saudáveis ​​e aumentando a fidelidade do cliente.

Conclusão

Um programa robusto de Gestão Logística deve não apenas evoluir constantemente, mas também adotar as mais recentes inovações tecnológicas, como uma plataforma integradora de gestão de frota para atender às crescentes expectativas dos clientes, alcançar o crescimento e manter os lucros.

Gostou do artigo? Então considere seguir o nosso perfil no LinkedIn para ficar por dentro das novidades

Monitore a sua frota e otimize seus custosInfleet | Tecnologia de ponta para gestão de frotas