Gestão de risco da frota: saiba reconhecer a sua importância

Gestão de risco da frota: saiba reconhecer a sua importância

A capacidade de resolver problemas é um diferencial competitivo para empresas de qualquer segmento. No setor de transporte, uma gestão de risco da frota é imprescindível para ajudar quem está à frente do negócio a pensar em como evitar prejuízos.

A pandemia do Covid-19 foi um fator que acelerou a criação de comitês de crise nas organizações. Só em 2020, de 218 empresas analisadas, 62% já tinham uma área de gerenciamento de riscos implementada, segundo um levantamento feito pelo ACI Institute Brasil, da KPMG.

Mas, afinal, você sabe como isso funciona na prática? Neste artigo, além de explicar o que é gestão de risco, vamos abordar também qual a sua importância e como você pode aplicá-la na sua frota. Acompanhe!

Como funciona a gestão de risco da frota?

Gestão de risco é um conjunto de ações que visa equilibrar as atividades, metas e objetivos da empresa com os riscos que podem interferir no andamento do negócio. Riscos esses que podem ser positivos ou negativos e encarados como ameaças e oportunidades.

É um processo que auxilia os gestores a identificar ameaças internas e externas, e ajuda na criação de estratégias preventivas para evitar problemas futuros. Os riscos podem ser de natureza financeira, operacional, ambiental, legal, imprevisível, entre outros.

Para ficar mais claro, gerenciamento de riscos significa:

  • Detectar perigos e minimizar seu impacto;
  • Controlar danos e evitar perdas;
  • Antecipar situações e criar soluções.

E na gestão de risco da frota esses conceitos são aplicados nas práticas administrativas já existentes nas operações de rotina da empresa.

O gestor desse ramo é responsável por pensar nas metas, insumos, custos, rotas, manutenções, regulamentações e até mesmo multas, roubos e acidentes. Em outras palavras, ele também analisa todos os cenários possíveis com tudo aquilo que pode trazer prejuízos para a companhia e cria planos para impedir as ocorrências.

Entenda a importância de uma gestão de risco

A gestão de risco é importante para todo negócio que almeja continuar ativo no mercado, mantendo sua boa imagem e reputação. Dessa forma, para se manter em vantagem competitiva, a empresa precisa identificar, mapear e gerenciar as situações de riscos que podem afetar sua credibilidade.

Assim, inserir esse estilo de gerenciamento no cotidiano das frotas é fundamental, não só para auxiliar os responsáveis na antecipação dos problemas e na prevenção de perdas, como também na melhoria dos processos e na implantação de métodos para diminuir o impacto negativo de situações incontroláveis.

Além disso, na gestão de risco você pode reconhecer e aproveitar oportunidades que agregam valor à empresa. Com análise e planejamento é possível evitar contratempos, criar um ambiente de trabalho mais seguro, aumentar a produtividade da frota, proteger o negócio e o meio ambiente.

Confira alguns dos benefícios da gestão de risco:

  • Prevenção de perdas financeiras;
  • Redução de prejuízos operacionais;
  • Otimização de recursos e processos;
  • Aproveitamento de oportunidades;
  • Aumento da credibilidade;
  • Melhoria da economia.

4 passos simples para aplicar uma gestão de risco

Até aqui você já aprendeu como funciona a gestão de risco e a sua importância, agora separamos alguns passos de como aplicá-la na sua frota.

1. Identifique os riscos

Liste em conjunto com os motoristas e toda a equipe os possíveis riscos que a frota pode enfrentar, como roubos, acidentes, custos de manutenção e desperdício de combustível.

Considere usar ferramentas de monitoramento como telemetria veicular, rastreadores, câmeras de segurança e aplicativos para reunir as informações na tomada de decisão.

2. Analise e classifique os riscos

Faça uma análise da probabilidade que esses riscos têm de acontecer, quais são as possíveis causas e quais as consequências para a empresa se ocorrerem. E depois ordene essas ameaças em uma escala de prioridade, para começar a resolver as mais emergenciais.

Isso vai contribuir para que você saiba quais são os maiores e menores riscos e dedicar a sua atenção a cada um deles.

3. Planeje as soluções

Após classificar a ordem dos riscos, planeje as ações de prevenção e informe aos colaboradores como eles devem colocar as ideias em prática. Lembre-se de que é preciso, através de treinamentos, preparar a equipe para a resolução de problemas.

Tenha o motorista como seu aliado, assim como use os recursos disponíveis ao seu favor. Antecipar a possíveis problemas vai facilitar a solução dos mesmos quando os mesmos acontecerem.

4. Monitore os resultados

Depois de implementar as soluções, acompanhe todo o andamento do processo para verificar se o plano está sendo eficiente ou ainda precisa de ajustes. Tudo isso para evitar as recorrências e garantir que todos os riscos sejam devidamente tratados.

Vale ressaltar que, para facilitar a vida do gestor, existem no mercado algumas opções de softwares capazes de otimizar de forma eficaz todos os passos de uma gestão de risco.

Conclusão

A gestão de risco da frota é importante para evitar grandes prejuízos, melhorar os processos e se diferenciar no mercado. Além disso, com ela fica mais fácil atingir as metas e objetivos da empresa sem possíveis interferências atrapalhando. Agora que você já conhece as vantagens desse gerenciamento, é só começar a implementação.

Para ficar por dentro de todas as novidades, assine a nossa newsletter e sempre receba informações em primeira mão.

Monitore a sua frota e otimize seus custosInfleet | Tecnologia de ponta para gestão de frotas