Como usar o rastreador veicular para controlar a jornada do motorista

Como usar o rastreador veicular para controlar a jornada do motorista

Um tema recorrente deste blog é a Torre de Controle Logístico, geralmente destacamos a importância de aplicá-la e falamos sobre seus principais elementos, como o controle de manutenções, abastecimentos e sobre o monitoramento das operações. No coração do monitoramento está o rastreamento da frota. Detalharemos aqui como este rastreamento pode ser usado para levantar informações importantes a respeito da jornada de trabalho dos seus motoristas.

A jornada de trabalho é parte tão importante do contexto de transportes que existe uma legislação específica para orientar essa relação de trabalho, também conhecida como Lei do Motorista (Lei nº 13.103/2015) trata assuntos como: tempo de para refeições e intervalos entre jornadas, durações máximas das viagens entre outros temas de extrema importâncias aos gestores e aos próprios motoristas.

1. Duração Máxima das Jornadas

Por lei a duração máxima de uma jornada deve ser de 8 horas, admitindo-se uma prorrogação por até 2 horas extraordinárias, e, em casos em que haja previsão em convenção ou acordo coletivo podem ser acrescidas 4 horas extraordinárias. Para veículos que fazem uso de ferramentas de monitoramento essa informação pode ser conseguida ao acompanhar os horários em que o veículo é ligado e desligado, além disso, em casos em que o veículo é guardado na própria garagem da empresa, pode-se utilizar essa localização para determinar o momento que as atividades do veículo são iniciadas e concluídas.

2. Tempo de Descanso

O motorista tem direito a 1 hora para refeição, além de 11 horas de descanso por dia, essas 11 precisam que no mínimo 8 horas sejam tiradas de forma contínua, sendo as outras 3 horas podendo ser compensadas ao longo do dia. As paradas do seu veículo podem ser acompanhadas com facilidade dentro da plataforma de rastreamento, além disso você pode criar cercas virtuais nos principais pontos de parada e de refeição, assim a identificação será ainda mais precisa.

3. Tempo Máximo em Direção

Em períodos de alta competitividade é tentador pensar em aumentar a produtividade da operação através do estímulo a jornadas de trabalho e consequentemente de direção mais longas. Porém, é preciso observar que não só o excesso de horas pode ser perigoso e ser uma potencial fonte de acidentes, como também a legislação normatiza esse tempo. O limite para horas consecutivas ao volante é de 5 horas e trinta minutos, devendo ser observado um intervalo de 30 minutos a cada 4 horas de viagem. A melhor forma de validar que seus motoristas estão cumprindo a Lei é validando a duração de suas viagens através do rastreador. É uma ação simples mas que além de aumentar a segurança da sua operação, lhe ajudará também a operar em harmonia com a legislação.

4. Viagens Longas

Um outro ponto de grande atenção devem ser as viagens longas: aquelas que passam de 7 dias. Nesses casos, o tempo de repouso será de 24 horas, ou fração trabalhada, sem que haja prejuízo às 11 horas já previstas. Totalizando 35 horas, que devem ser usufruídas no retorno do motorista à base, ou ao seu domicílio. Nesses casos em que as viagens são mais longas, e em que a comunicação pode ser ainda mais complicada, o monitoramento da frota é um fator ainda mais importante para garantir o correto andamento da operação, e a legalidade da mesma.

Caso você já esteja bastante familiarizado com tudo o que trouxemos aqui, fique à vontade para nos sugerir outras temáticas. Esperamos que o conhecimento apresentado aqui sirva para tornar a sua operação ainda mais segura. Conte conosco!